• Redação

Como praticar a liderança transformacional no ambiente de trabalho?




O conceito de liderança transformacional é citado por diversos autores desde a década de 1970, sendo a primeira vez no livro “Rebel Leadership: Commitment and Charisma in a Revolutionary Process’‘, do sociólogo James V. Downton em 1973.


Esse modelo de liderança — que visa o encorajamento dos profissionais com base no exemplo dos seus líderes —, se tornou mais popular em 1978, com a publicação do livro “Leadership” do historiador e cientista político James MacGregor Burns.


Já em 1980, com a obra do pesquisador Bernard M. Bass, “Leadership and Performance”, a explicação sobre o que é liderança transformacional passou a abranger também a percepção de um perfil de líder que atua em parceria com seus liderados em prol de identificar e implementar as mudanças que forem necessárias para o sucesso da empresa.


Sintetizando todas as definições apresentadas por esses autores, é possível perceber que a liderança transformacional é uma forma de incentivar comportamentos inovadores dos profissionais, ao mesmo tempo em que isso resulta na formação de equipes adaptáveis e preparadas para enfrentar diferentes cenários.


Como resposta, a empresa conquista colaboradores mais autônomos, engajados, participativos e produtivos, o que também contribui para elevar o seu poder competitivo.


Mas como praticar a liderança transformacional? Confira, agora, os elementos que compõem esse conceito, e o que é preciso para se tornar um líder com esse perfil de atuação.


Quais são os elementos da liderança transformacional?


A liderança transformacional é formada pela junção de quatro componentes, que são:

  • Consideração individualizada

  • Motivação inspiradora

  • Influência idealizada

  • Estímulo intelectual


Consideração individualizada


A consideração individualizada contempla ponderar sobre as necessidades e expectativas de cada membro da equipe.


A ideia aqui é buscar respeitar suas individualidades em questões como distribuições de tarefas e responsabilidades, o que ajuda a aprimorar estratégias de desenvolvimento pessoal, profissional e a explorar o potencial e habilidade de cada um de forma mais completa.


Motivação inspiradora


A motivação inspiradora parte do princípio que citamos logo no início deste artigo, que é de os colaboradores terem o seu líder como exemplo.


A proposta desse elemento da liderança transformacional é estimular sensos morais e de responsabilidade aos profissionais, tendo como base o comportamento do próprio gestor.


Para isso, é importante que a pessoa que está à frente da equipe considere e pratique um modelo de gestão íntegro e justo. Somado a esses pontos, é válido que também tenha uma visão inspiradora de futuro, alinhada aos propósitos, objetivos e cultura da empresa.


Influência idealizada


Complementando o elemento anterior, a influência idealizada visa despertar nos membros da equipe ações, comportamentos e atitudes que promovam engajamento, baseados no comportamento ético e motivacional do seu líder.


Estímulo intelectual


Como o próprio nome sugere, o estímulo intelectual tem por objetivo fomentar o compartilhamento de pensamentos, propostas e sugestões, em busca de soluções de problemas ou com forma de gerar novas ideias para o crescimento do negócio.


Aqui, o líder não apenas ouve as opiniões e ponto de vista dos seus colaboradores, mas também os incentiva a tomar riscos e inovar, em prol do crescimento pessoal e profissional de cada um e também da empresa.


Como praticar a liderança transformacional?

Os elementos você acabou de conhecer, mas o que é preciso para se tornar um líder transformacional de verdade?


Entre as características de um gestor com esse perfil, estão:

  • Visão estratégica

  • Comportamento ético, moral, mas flexível a mudanças

  • Comprometimento com a evolução da equipe e da empresa simultaneamente

  • Confiança na atuação dos seus liderados, dando autonomia para suas atuações e não realizando microgerenciamento

  • Capacidade de inspirar e motivar os membros do seu time

  • Habilidade para extrair o melhor da cada profissional, de modo que isso afete cada um positivamente e também o grupo

  • Competência para resolver problemas de diferentes portes e origens, ou seja, tanto técnicos quanto de gestão de pessoas


Com essas aptidões bem definidas, as práticas mais indicadas que podemos sugerir a você para adoção de um modelo de liderança transformacional são:

  • Tenha visão de futuro, aspirando ações e medidas em longo prazo

  • Aprenda a identificar oportunidades de inovação, tanto para o seu time quanto para a companhia

  • Trabalhe de modo que seus comportamentos e direcionamentos estejam sempre alinhados à missão, valores e visão da empresa

  • Entenda a importância de delegar tarefas e pratique essa divisão de responsabilidades, confiando na atuação de cada profissional

  • Trabalhe, junto com seus liderados em planos de desenvolvimento para que eles evoluam em suas carreiras em seus próprios ritmos

  • Adote uma cultura de feedback constante

  • Incentive a comunicação e o compartilhamento de ideias entre os seus colaboradores

  • Saiba conversar com sua equipe de forma inspiradora e motivadora (foque na solução, não nos problemas!)

  • Fomente o crescimento intelectual dos seus funcionários, salientando a importância de nunca parar de aprender

  • Atente-se para as necessidades e expectativas de desenvolvimento pessoal e profissional de cada um

  • Defina metas claras e realistas, realmente possíveis de serem alcançadas


Exemplos de líderes transformacionais


A fim de inspirar você com esse modelo de liderança, conheça alguns dos principais gestores com esse perfil, de acordo com uma publicação da Harvard Business Review:


  • Jeff Bezos, da Amazon: encabeça a lista por ter migrado do setor de finanças para o segmento de e-commerce, criando uma das companhias mais valiosas dos últimos tempos

  • Reed Hastings, da Netflix: seu gerenciamento levou à criação da maior empresa de streaming de filmes e séries, revolucionando o mercado do entretenimento

  • Steve Jobs e Tim Cook, da Apple: a companhia, que conta com fãs fiéis dos seus produtos e serviços, só se tornou uma realidade graças ao modo de gestão desses dois idealizadores

  • Mark Zuckerberg, do Facebook: foi devido a sua visão de futuro que Zuckerberg conseguiu construir a maior rede social do mundo, gerando uma organização bilionária e em constante crescimento e inovação

  • Kent Thiry, da DaVita: à beira da falência, a empresa do ramo de saúde se transformou em uma organização lucrativa por conta do modelo de liderança de Thiry.


Quais as vantagens desse tipo de liderança?


Uma das principais vantagens da liderança transformacional é conseguir promover inovações e transformações que afetam de forma positiva a empresa e os profissionais que a compõem.


Diferentemente da liderança transacional que visa resultados a qualquer custo e, por vezes, é contrária a mudanças, a transformacional é mais moderna, atual e valoriza a atuação dos colaboradores. Com isso, é possível conquistar resultados melhores e mais significativos para todos.



 

Redação - Movile Orbit

 

Que tal mais conteúdos como este? Assine a newsletter do Movile Orbit e receba todos os destaques quinzenalmente, direto no seu e-mail!