• Redação

Blockchain na logística: como a tecnologia está transformando essa área


blockchain na logística

Tecnologia por trás da criação e da movimentação de criptomoedas e de ativos digitais como o NFT, a blockchain na logística está sendo utilizada como ferramenta de enfrentamento a diversos desafios comuns à complexidade desse ecossistema.


Comunicação, transparência e confiabilidade entre os participantes de uma cadeia de suprimentos são alguns dos pontos que podem ser melhorados com esse tipo de solução.


Segundo o levantamento Forbes Blockchain 50 of 2021, mais da metade das companhias que agora fazem parte dessa lista estão utilizando a blockchain para solucionar problemas encontrados em seus processos de logística.


Por outro lado, um estudo da PwC, denominado “Blockchain in logistics”, destaca que essa tecnologia, sozinha, pode não resolver todas as questões apresentadas no mundo real.


Por exemplo, para que a utilização da blockchain na logística seja realmente eficaz, é fundamental que as partes envolvidas na cadeia de suprimentos compartilhem, de maneira transparente e verdadeira, os dados pertinentes ao processo.


Em suma, entende-se que de nada adianta ter uma solução tão completa e segura nas mãos se as informações necessárias para a sua formação não forem inseridas corretamente.


Esse não é o único desafio a ser enfrentado na implementação da blockchain na logística. Mas ainda que haja obstáculos, os benefícios dessa tecnologia para esse setor tendem a se sobressair.


Benefícios da tecnologia blockchain na logística

Também segundo o relatório da PwC, rede de empresas independentes e multinacional de consultoria e auditoria, há grandes potenciais de uso da tecnologia blockchain para aprimoramento do segmento logístico e benefícios provenientes dessa utilização.


Mas antes de falarmos quais são essas vantagens, vale lembrarmos que a blockchain é uma rede formada por uma cadeia de blocos, os quais recebem informações criptografadas referentes a uma determinada transação ou operação.


Além da criptografia, que é uma camada de segurança significativa e importante contra possíveis ataques cibernéticos, os dados inseridos também recebem o registro de data e hora que foram validados e incluídos. Por conta disso, são posicionados em ordem cronológica, o que garante que as informações sejam registradas na sequência exata em que acontecem. Isso, para um processo logístico, é fundamental.


Somado a todos esses pontos, é essencial destacarmos também que uma vez que esses dados passam a fazer parte da rede blockchain eles não podem mais ser alterados, nem mesmo por quem os criou. É justamente essa característica que dá a essa tecnologia a qualidade de imutabilidade.


Com tudo isso em mente, fica mais fácil entender quais são as vantagens da blockchain na logística. Entre as que mais se destacam estão:

  • aumento da transparência e da rastreabilidade;

  • garantia de segurança, imutabilidade e autenticidade;

  • redução da complexidade dos processos;

  • aprimoramento da eficiência operacional.


Aumento da transparência e da rastreabilidade

Considerando a maneira como os dados são inseridos em uma rede blockchain, assim como acabamos de explicar, os envolvidos na cadeia de suprimentos podem acompanhar em tempo real todas as movimentações, indo desde a matéria-prima até o produto final já pronto em rota de entrega para o cliente final.


Essa possibilidade confere muito mais transparência para a empresa, o que tende a aprimorar o seu relacionamento com parceiros de negócio, público-alvo e até potenciais investidores.


No que se refere à rastreabilidade, se torna uma forma de não só acompanhar trajetos, mas também de garantir a qualidade dos produtos comercializados, uma vez que é possível monitorar a sua fabricação desde os primeiros passos.


Garantia de segurança, imutabilidade e autenticidade

Em uma rede blockchain é praticamente impossível adulterar qualquer informação que já tenha sido validada e inserida, o que garante que fraudes não sejam efetivadas.


A criptografia utilizada nessa tecnologia é uma forma de garantir ataques externos, visto que somente com a chave correta é possível acessar as informações registradas. Mas, ainda assim, nada pode ser modificado.


Redução da complexidade dos processos

Um dos processos que podem ser realizados com base na tecnologia blockchain são os chamados contratos inteligentes, ou smart contracts.


Trata-se de contratos autoexecutáveis (baseados em regras) que dispensam a intermediação de terceiros. Ou seja, transações e acordos podem ser feitos somente entre as partes envolvidas.


Na logística, especificamente, podemos citar como exemplo o pagamento de serviços atrelado à entrega de mercadorias. Imagine um negócio que não tem frota própria e que contrata uma empresa de logística para fazer esse serviço.


Por meio de um contrato inteligente, é possível vincular o pagamento dessa operação ao que foi entregue aos clientes finais. Desse modo, tão logo cada etapa do acordo é concluída, o valor é enviado automaticamente para a contratada, sem a necessidade de intervenção manual.


Além de otimizar e desburocratizar processos, o uso dos smart contracts também tende a reduzir custos, considerando que não é necessária a contratação de intermediários.


Aprimoramento da eficiência operacional

Ainda considerando a utilização dos contratos inteligentes, a tendência é que as operações da empresa se tornem mais eficientes. Uma das razões é que os smart contracts dispensam a obrigatoriedade de interferência humana para a sua evolução.


Isso acontece porque esse documento segue regras definidas previamente que, quando concluídas, liberam as próximas etapas automaticamente. Por exemplo, imagine que o pagamento de uma grande carga de matéria-prima está atrelada à quantidade enviada pelo fornecedor.


Dessa forma, a cada rodada de entrega a rede blockchain realiza de maneira automática o pagamento, o que também contribui para evitar erros humanos.


Dica de leitura: “Tecnologia: o caminho ao crescimento exponencial do mercado de logística


Desafios a serem enfrentados para uma implementação mais ampla

Logo na abertura deste artigo, citamos que o não comprometimento dos participantes em inserir informações corretas na rede blockchain pode comprometer a sua eficácia no setor logístico, se lembra?


Outro ponto que pode comprometer a utilização mais ampla dessa tecnologia é o entendimento de que se trata de uma rede descentralizada, o que significa que ela não pertence a nenhum governo, órgão fiscalizador, empresa ou entidade específica.


Para algumas pessoas essa característica pode esbarrar na questão da segurança, visto não haver uma regulamentação e/ou fiscalização. No entanto, é essencial deixar claro que nada é inserido nessa rede sem a validação da comunidade que a compõe.


Somado a isso, é preciso frisar que existem diferentes tipos de blockchain, entre elas a pública, a privada e a híbrida (mescla dos outros dois modelos). Ou seja, a companhia pode adotar aquele que melhor atende às suas necessidades e critérios de segurança.


Empresas que já utilizam blockchain na logística

Mas como dissemos, os benefícios da tecnologia blockchain costumam ser superiores aos seus desafios. Por conta disso, várias empresas já estão utilizando esse recurso, entre elas:

  • Maersk (operadora de contêineres): acompanhamento de carga entre fronteiras internacionais;

  • Everledger (empresa de tecnologia): garantia de autenticidade da origem de diamantes;

  • FedEx (transporte expresso): armazenar registros com mais segurança;

  • Carrefour (comércio varejista): rastreamento de alimentos e controle de origem;

  • Walmart (loja de departamento/comércio varejista): identificação de problemas de segurança alimentar e detecção de alimentos contaminados.


Achou este conteúdo interessante? Então assine agora mesmo a newsletter do Movile Orbit para receber os destaques quinzenalmente no seu e-mail.


 

Redação | Movile Orbit