• Redação

Valuation de startups: quais são os desafios para determinar o valor de uma empresa no cenário atual


valuation de startups

A redução do número de investimentos em 2022 resultou em um novo desafio, que é a necessidade de identificar corretamente como calcular o valuation de startups em meio a esse atual cenário.


A razão para isso é que essa situação levantou um questionamento: se esse indicador aponta o valor de um negócio, considerando sua capacidade financeira e seu potencial de crescimento futuro, a ausência de investimento não seria um ponto negativo para os dois fatores?


Aqui, vale destacar que as startups unicórnio foram as que mais sentiram impacto com a desaceleração nos investimentos. Segundo dados do Distrito, citados em uma matéria do site CNN Brasil, a queda dos investimentos ficou concentrada em rodadas mais avançadas, ou seja, nas empresas com crescimento mais expressivo.


Essas, captaram apenas US$ 1,24 bilhão entre os meses de janeiro e junho de 2022, contra os US$ 3,87 bilhões captados no mesmo período do ano anterior.


Por outro lado, o volume de investimento destinado a startups que estão em estágios iniciais - cheques menores - cresceu.


Ainda segundo a mesma reportagem, em 2022 foram captados US$ 282 milhões em rodadas tipo seed e US$ 1,39 bilhão em early stage. Como comparação, os valores investidos em 2021 foram de US$ 151 milhões e US$ 1,23 bilhão, respectivamente.


Mesmo esses números sendo bons, as startups em estágio inicial de crescimento precisam "manter os pés no chão" na hora de atribuir valor ao negócio no momento de buscar investimentos, especialmente no cenário atual que envolve alta nos juros, aumento da inflação, entre outros fatores economicamente impactantes.


Considerando tudo isso, uma forma de calcular corretamente o valuation de startups é, além dos dados quantitativos e tradicionais de avaliação, a exemplo de histórico de faturamento e fluxo de caixa, destacar informações qualitativas que agregam valor à companhia, tais como a maturidade e a capacidade de escalabilidade do serviço ou produto oferecido.


Qual o melhor modelo de valuation de startups?

O cálculo de valuation de startups se tornou um desafio diante dos atuais acontecimentos e momento econômico, especialmente por conta da diminuição do número de investimentos.


Por conta dessa mudança, aumentam as chances de mostrar seu valor e, consequentemente, captar recursos financeiros, as empresas que comprovam concretos e significativos diferenciais competitivos.


Em uma entrevista para o Movile Orbit, Gustavo Galli, Diretor de FP&A e Relações com Investidores da Movile, ressaltou que "o capital para investimento não desapareceu completamente, apenas está mais seletivo".


Isso acaba levando à necessidade de adaptações, sendo que, para alcançá-las, o primeiro passo é ter em mente que não existe uma única metodologia aplicável a todas as empresas desse modelo.


Na busca pelo melhor modelo de valuation de startups a ideia é, portanto, considerar as principais características da empresa, alinhando esse ponto aos dados quantitativos (financeiros) comumente apresentados e a informações qualitativas.


Dados quantitativos

Em geral, o cálculo de valuation de uma empresa tem como base a projeção do seu fluxo de caixa, subtraindo um percentual que represente o risco inerente ao negócio.


Mas financeiramente falando, um dos obstáculos para chegar ao valor de uma startup, especialmente no cenário atual, é conseguir avaliar um serviço ou produto e seu potencial de faturamento que, até então, não existiam.


Por conta disso, além das informações tradicionais como custo histórico, múltiplos de mercado, valor patrimonial e/ou contábil e liquidação, investidores também consideram para suas tomadas de decisão dados que não são quantitativos.


Aproveite e leia também este artigo: "ENTREVISTA | Fundraising: como traçar a melhor estratégia de captação de recursos?"


Dados qualitativos

Para decidir se injeta ou não dinheiro em uma startup, um investidor costuma ir além de números e informações mensuráveis. Aqui estamos falando de análises sobre:

  • capacidade de escalabilidade do produto e/ou serviço criado;

  • capacidade de o empreendedor de implementar ideias;

  • riscos envolvendo tecnologia.


Trazendo todos esses pontos para os desafios que os idealizadores estão enfrentando no momento definir o valuation de suas startups, é preciso destacar, novamente, que estão conquistando espaço aquelas que não apenas criaram as melhores e mais pontuais soluções para o público-alvo, mas também as que contam com um bom time, começando pela postura, envolvimento e foco dos(as) seus(as) fundadores(as).


Este artigo pode ser interessante para você: "Talent Acquisition: 4 passos para criar um canal de aquisição de talentos"


Estou usando o cálculo certo de valuation de startups?

Para saber se está usando a fórmula certa para chegar ao valuation da sua startup, duas perguntas precisam ser respondidas:

1 - Você está levantando os dados quantitativos certos?

2 - Os diferenciais do seu negócio estão sendo destacados, incluindo a competência, as habilidades e o histórico profissional do time fundador?


O que estamos querendo dizer com essa percepção é que mudanças requerem adaptações. A queda do número de investimentos em startups é uma realidade que deixa mais evidente essa necessidade.


No entanto, adaptações podem gerar dúvidas. Por isso, a fim de apresentar mais do que valor monetário aos potenciais investidores, muitos idealizados podem se questionar se a forma que estão calculando o valuation dos seus negócios está conseguindo apresentar a realidade e o potencial de crescimento da empresa.


Como dito logo no início deste artigo, momentos como o atual requerem a mescla de diferentes metodologias de análise de valor.


Basicamente, a ideia é estruturar uma boa combinação entre abordagens financeiras, mantendo as informações tradicionalmente apresentadas, mas inserindo e destacando diferenciais, inclusive o de capital humano.


Essa estratégia visa apresentar de maneira transparente os possíveis riscos da startup, mas também deixar claro seu potencial para transpor essas ameaças, rumo ao seu exponencial crescimento.


Além de valor, o que mais está sendo considerado atualmente?

Performance e resultados estão sendo tão cobrados das startups quanto potencial de crescimento.


Esses critérios acabam sendo usados também como uma forma de selecionar quem receberá ou não recursos, visto que os investidores estão bem mais criteriosos por conta da instabilidade econômica não apenas nacional, mas em todo o mundo.


Desse modo, além de uma apresentação de um valuation calculado conforme as necessidades e exigências atuais, é preciso atuar de modo que esses dois conceitos se destaquem tanto quanto os números.


Essa estratégia ajuda a elevar as chances de captar bons investimentos, especialmente em períodos turbulentos como os que o mercado está vivendo agora.


Gostou deste artigo? Então aproveite que está aqui e assine agora mesmo o Movile Orbit e receba, diretamente no seu e-mail, os destaques da quinzena.


 

Redação | Movile Orbit