top of page
  • Redação

Pitch Deck: como estruturar uma apresentação para impressionar investidores?



pitchdeck

Idealizadores e fundadores de startups precisam saber o que é pitch deck. Afinal, esse modelo de apresentação pode definir o futuro do negócio ao conquistar, ou não, novos investidores.


Pitch deck é uma maneira de apresentar brevemente uma empresa ou uma ideia, mostrando para possíveis investidores uma visão macro do negócio e seu potencial de lucratividade.


O desafio que muitos gestores enfrentam quanto a isso é descobrir como apresentar corretamente a companhia e seus pontos mais importantes em tão pouco tempo — com aproximadamente 15 slides é preciso expor aos potenciais clientes e/ou investidores os motivos pelos quais vale a pena entrar nessa jornada com você.


Um dos grandes segredos para atingir esse objetivo e, assim, criar um pitch deck perfeito, é que ele seja simples, objetivo, mas formado por informações verdadeiramente relevantes, tais como quais são os maiores diferenciais do seu produto/serviço.


Ter um bom storytelling, ou seja, saber contar uma história, é outra forma de prender a atenção dos seus ouvintes e despertar o interesse deles para o que a sua startup tem a oferecer.


Mas, além desses, há outros tópicos que não podem faltar no seu pitch deck. Continue a leitura deste artigo e confira quais são e, ao final, veja cinco dicas de como montar uma apresentação de sucesso!


O que é pitch deck?

Um pitch deck é uma apresentação na qual deve constar as informações e dados mais importantes de uma empresa, ou de um negócio que se pretende estruturar.


A ideia por trás dessa ferramenta é mostrar para possíveis investidores(as) quais dores são resolvidas com a solução ou produto criado, seu potencial de aceitação no mercado e de lucratividade.


O objetivo é, em um curto espaço de tempo, e com informações e dados enxutos, mas reais e embasados, expor para os ouvintes da apresentação a viabilidade do negócio e por quais motivos vale a pena investir financeiramente nele.


Exemplo de pitch deck

Um bom exemplo de pitch deck que se tornou público é do Uber. A primeira apresentação, feita em agosto de 2008, foi divulgada por Garret Camp, cofundador da empresa, em sua página no Medium:



Fonte: https://medium.com/@gc/the-beginning-of-uber-7fb17e544851

Fonte: https://medium.com/@gc/the-beginning-of-uber-7fb17e544851



Qual a diferença entre pitch e pitch deck?

Na verdade, o Pitch Deck é um tipo de pitch, que nada mais é do que uma apresentação breve sobre uma empresa ou uma ideia que se pretende viabilizar.


Nesse cenário existem diversos outros tipos de pitch, que são:

  • pitch de vendas: apresentação voltada para apresentar o potencial impacto de um produto e/ou serviço no mercado e na vida dos clientes;

  • pitch de captação: tem por objetivo apresentar dados e informações que ajudem na captação de recursos financeiros;

  • elevator pitch: tem como principal característica o tempo de apresentação, que deve, obrigatoriamente, ficar entre 30 e 60 segundos;

  • tweet pitch: recebe esse nome devido à exigência de resumir o que será apresentado em apenas uma frase curta.


Dica de leitura: "ENTREVISTA | Fundraising: como traçar a melhor estratégia de captação de recursos?"


Como é estruturado um pitch?

Um pitch é estruturado com a distribuição das informações do negócio ou a ideia em 10 a 15 slides, geralmente criados e desenvolvidos em PowerPoint, incluindo imagens, gráficos e números que respaldam a fala de quem está apresentando.


O principal objetivo aqui é que esses poucos slides contemplem o que for de mais importante e necessário para apresentar a empresa que busca por investimento.


Por isso, na hora de escolher quais dados inserir na sua apresentação, considere aquelas que têm mais chances de chamar a atenção dos ouvintes, despertar interesse e, com isso, estimular o investimento.


Quais assuntos não podem faltar em um pitch deck?

Pensando na orientação anterior, os assuntos que não podem faltar em um pitch deck são:

  • Apresentação da empresa

  • Identificação do problema

  • Apontamento da solução

  • Explicação do modelo de negócio

  • Estudo de mercado

  • Primeiros resultados já conquistados

  • Possíveis concorrentes e comparação de diferenciais

  • Investimentos pretendidos

  • Previsões financeiras e retorno aos investidores

  • Apresentação da equipe e contato


Apresentação da empresa

A sua empresa tem um slogan? Se sim, ele pode ser uma excelente maneira de começar a sua apresentação.


Por exemplo, do iFood já foi “Pensou comida, pensou iFood”; o da Zoop é “Tecnologia para os serviços financeiros do futuro”. Ambas as companhias fazem parte do ecossistema de empresas investidas da Movile e usam essas frases como forma de apresentar sucintamente suas marcas.


O que queremos dizer aqui é que a ideia do primeiro slide é conseguir, com uma abordagem simples e precisa, iniciar a conversa já mostrando o que o seu negócio faz e em qual segmento atua.


Também não deixe de usar um design compatível com seu modelo empresarial, e com a identidade visual da sua startup.


Identificação do problema

Neste ponto, você já pode começar a lançar mão do storytelling para mostrar aos potenciais investidores qual problema a sua empresa identificou e como ele afeta o público-alvo.


Em outras palavras, é o momento de mostrar que há uma dor a ser solucionada no segmento — ou seja, uma oportunidade de negócio — para, logo em seguida, apresentar qual é a sua solução.


Apontamento da solução

Como o problema apontado anteriormente pode ser solucionado? Com a criação de um novo aplicativo? Com a oferta de um serviço até então não criado por outras marcas? Trazendo uma solução já utilizada em outros países, adaptando-a para o nosso?


Esta é a hora em que você mostra para sua audiência o que pode ser feito para sanar a questão apontada anteriormente, e já iniciar a apresentação do seu produto e/ou serviço.


Explicação do modelo de negócio

No pitch deck, este slide é uma continuação do anterior, no qual você deve atrelar a sua ideia à solução do problema que o mercado ainda tem para ser resolvido.


Apresente como seu produto ou serviço funciona, quais são as suas estratégias de venda e de marketing, o que faz para conquistar público, como é a sua geração de receita — por exemplo, se é por assinatura, aquisições avulsas, contratos anuais etc.


Um dos pontos mais considerados por futuros investidores é se o negócio no qual estão injetando dinheiro é realmente escalável. Este é o momento da apresentação que você pode dizer-lhes quanto a sua proposta atende a esse requisito.


Estudo de mercado

Mas eles também vão querer saber se há mercado para a sua ideia. Afinal, de nada adianta ter um projeto incrível se não tiver público interessado nele.


Para convencê-los da viabilidade do seu negócio, você pode fazer comparações, por exemplo, quantas pessoas sofrem do problema apontado anteriormente e quantas se beneficiarão com a sua solução quando ela estiver implementada.


É certo que nessa etapa será apresentada uma estimativa de potencial de alcance da sua empresa. Por isso, evite fórmulas e cálculos muito complexos, ou que sugerem previsões inalcançáveis, sem base de que há mesmo uma questão a ser solucionada.


Primeiros resultados já conquistados

De modo geral, as startups buscam investimentos quando já têm os seus primeiros resultados.


Por isso, neste slide, também chamado de “tração”, você deve divulgar alguns dos números do seu negócio, tais como quantidade de vendas já realizadas, número de clientes conquistados, comentários de consumidores satisfeitos, entre outros relacionados.


Esta é a chance de mostrar aos potenciais investidores que, mesmo que ainda não tenha o aporte financeiro que precisa, a sua empresa já está trazendo o retorno sugerido na fala anterior — quando você disse que a sua proposta era, realmente, a solução de um problema.


Isso pode entusiasmá-los a entrar nessa jornada, visto que se torna possível comprovar que tem nas mãos um negócio promissor.


Possíveis concorrentes e comparação de diferenciais

Para fortalecer o último discurso, liste os possíveis concorrentes da sua marca e faça uma comparação entre o que eles e a sua companhia entregam ao público.


O objetivo aqui é destacar os diferenciais da sua marca, e mostrar por quais razões é tão interessante e viável apostar financeiramente nela.


Investimentos pretendidos

E não há como montar um pitch sem falar de dinheiro, concorda? Mas para dizer de quanto é o investimento que pretende receber, é essencial que sua proposta seja baseada em números.


De forma simplificada, apresente o valor que pretende obter e o que será feito com ele, por exemplo, investimento em tecnologia, em marketing, contratação de pessoal, entre outras possibilidades.


Previsões financeiras e retorno aos investidores

O slide de previsão financeira visa mostrar para os seus ouvintes quanto a sua empresa pode render depois de um determinado período, tal como um ano, cinco anos ou mais.


Gráficos ajudam a visualizar de maneira mais clara o potencial de lucratividade do negócio, e transmitir aos investidores a ideia de quanto podem lucrar com a parceria.


Apresentação da equipe e contato

Feche sua apresentação mostrando quem está por trás de tudo isso, ou seja, quem são os(as) profissionais envolvidos no projeto, seus nomes e qualificações.


O track-record dos(as) empreendedores(as) envolvidos(as) em uma startup é um dos principais fatores de decisão para um investidor, então leve isso em consideração na hora de apresentar os(as) sócios(as).


Divulgue também os principais contatos da empresa e de cada um, como telefone, e-mail e LinkedIn.


Como fazer um pitch deck de sucesso?

Para fazer uma apresentação tipo pitch deck você deve criar um roteiro, considerar o design dos slides e apresentar os pontos mais relevantes do seu negócio, a exemplo do problema que a sua solução, produto ou serviço consegue sanar.


No entanto, além da parte estrutural que acabamos de citar, há algumas outras boas prática que você pode adotar para fazer um pitch deck de sucesso, que são:

  • explore a técnica de storytelling;

  • use gatilhos mentais;

  • atente-se à sua linguagem corporal;

  • pratique e estude bastante antes da apresentação.


Explore a técnica de storytelling

Storytelling é uma técnica usada para contar histórias de maneira envolvente. Para isso, a narrativa deve conter elementos como mensagem principal, ambiente, personagem e conflito.


Trazendo isso para o mundo corporativo, seria algo como descrever a utilização da sua solução de maneira prática, incluindo-a na rotina da sua persona, para que os(as) investidores(as) tenham uma visão melhor e mais concreta da sua proposta.


Use gatilhos mentais

Gatilhos mentais são estímulos dados ao cérebro que ajudam nas tomadas de decisão de uma pessoa.


Muito usados em marketing e vendas, existem diferentes tipos de gatilhos mentais, por exemplo:

  • escassez: passa a percepção de que algo vai acabar e que aquela é uma oportunidade única de aquisição;

  • urgência: mostra que há pouco tempo para tomar uma decisão;

  • prova social: usa como base o posicionamento, a forma de pensar e a avaliação de pessoas que já usarem a solução;

  • reciprocidade: necessidade de retribuir a algo;

  • autoridade: comprovação do conhecimento sobre algo;

  • novidade: chama a atenção para algo nunca pensado ou realizado;

  • exclusividade: fomenta a ideia de acesso a algo único, não acessado anteriormente por outras pessoas;

  • curiosidade: abre um espaço entre o que a pessoa sabe e o que ela pode descobrir;

  • antecipação: apresentação de um cenário futuro sobre a oferta;

  • inimigo comum: compatibilidade de problemas que pretendem resolver;

  • humanização: identificação de sentimos com uma causa ou proposta;

  • coerência: senso de concordância entre o que está sendo apresentado e os valores e crenças dos ouvintes da apresentação;

  • benefícios: destaca as vantagens que o investidor pode ter ao injetar capital no negócio.

Atente-se à sua linguagem corporal

A sua postura, comportamento, modo de agir, velocidade de fala, entre outras ações relacionadas, podem ser usadas como complemento à sua apresentação.


Por meio da linguagem corporal é possível transmitir confiança, segurança e credibilidade ao que está sendo apresentado. Por isso, é essencial que você também trabalhe esse conceito para realizar um pitch deck perfeito.


Pratique e estude bastante antes da apresentação

Mas de nada adianta ter acesso a todos os segredos da estrutura de um pick deck, montar uma apresentação perfeita e, na hora, não saber o que ou como falar.


É fundamental que você tenha em mente que esse tipo de apresentação não se resume a ler slides, e que, certamente, os(as) ouvintes farão perguntas sobre pontos que não estão presentes na tela.


Por isso, é fundamental estudar muito sobre a empresa e/ou ideia que será apresentada. Além disso, tenha "na manga" informações extras e se prepare para responder, com o máximo de precisão, tudo o que for perguntado pelos(as) potenciais investidores(as)


Quanto tempo dura um pitch deck?

Um pitch deck deve durar, idealmente, entre 20 e 30 minutos. Como já comentamos, o objetivo é que os(as) possíveis investidores(as) recebam, em um primeiro momento, as informações mais importantes e relevantes do seu negócio.


Como você já deve imaginar, comumente, os(as) investidores(as) são pessoas extremamente ocupadas e com vários compromissos a serem cumpridos.


Conseguir um espaço em suas agendas para apresentar uma proposta é algo raro, difícil e que deve ser aproveitado o melhor que for possível. Por razões como essas é que uma apresentação de pitch é tão curta.


Ao passar por ela é que reuniões mais extensas serão solicitadas, a fim de obter mais dados sobre a empresa e concretizar o acordo de investimento.


Leia também: "Investimentos em fintechs: ainda há espaço nesse mercado?"


5 dicas práticas que podem te ajudar na boa apresentação do pitch deck!

E para deixar o seu pitch deck ainda mais atrativo, confira mais estas dicas:


1. crie uma apresentação que fale por si, que possa ser entendida caso você não esteja presente para explicar. Isso é necessário porque, por vezes, pode ser solicitada uma cópia para análise após a sua apresentação. No entanto, isso não significa que você deve lotar a apresentação de textos longos;


2. se for requerida essa cópia, envie em formato PDF. Além de mais profissional, é mais fácil de ser visualizado e manuseado;


3. tenha objetividade nas informações apresentadas nos slides, colocando-as de forma direta, mas compreensível;


4. use imagens compatíveis com a sua proposta, preferencialmente do seu produto e/ou serviço, e mantenha a sua identidade visual;


5. tenha o seu pitch sempre atualizado, nunca se sabe quando pode surgir a oportunidade de apresentá-lo.


Para mais conteúdos como este, assine a newsletter do Movile Orbit e receba os destaques quinzenalmente no seu e-mail!


 

Redação | Movile Orbit


 


bottom of page