• Redação

Cadeia de suprimentos e meio ambiente: quanto a logística da sua empresa está exposta?


cadeia de suprimentos e meio ambiente

Cadeia de suprimentos e meio ambiente são conceitos diretamente relacionados, visto que os efeitos do segundo podem afetar diretamente nos resultados do primeiro. Por essa razão, precisam ser analisados juntos na hora de definir o plano logístico e de abastecimento de um negócio.


Eventos como secas, enchentes, deslizamentos, tempestades, calor tórrido, entre outras intempéries, podem afetar seriamente a rede de abastecimento de uma empresa se forem negligenciados.


É certo que impedir as manifestações da natureza é algo impossível. Porém, sabemos que muitos dos comportamentos humanos resultam nessa resposta.


Uma logística sustentável, por exemplo, que analisa a emissão de poluentes durante o transporte das cargas, por isso, dá preferência à utilização de combustíveis alternativos, é uma das práticas que ajuda a proteger o ecossistema e as pessoas indiretamente afetadas por esse deslocamento.


Ainda assim, a pergunta que fica é: "Existem maneiras de proteger a cadeia de suprimentos de uma companhia de mudanças climáticas, de modo que seu fluxo não seja interrompido por manifestações desse tipo?"


Sim, existem ações que ajudam a mitigar os impactos ambientais. Ainda que essas gerem custos e possam comprometer temporariamente a eficiência desse setor, devem ser vistas como uma forma de assegurar que os processos da empresa não sejam interrompidos por eventos naturais, e que o atendimento ao cliente e sua satisfação sejam garantidas a qualquer tempo.


Relação entre cadeia de suprimentos e meio ambiente

A relação entre cadeia de suprimentos e meio ambiente nem sempre é considerada pelos gestores. Em linhas gerais, isso tende a acontecer quando a supply chain de uma companhia é desenhada apenas para ser eficiente, e não resiliente.


Prazos e custos são fatores comumente mais pensados e analisados do que os possíveis efeitos que mudanças climáticas inesperadas podem trazer para a estrutura logística de um negócio.


Além disso, utilizar apenas um modal de transporte, ou ter uma rede de fornecedores qualificados limitada, são outras condutas que deixam a companhia ainda mais expostas a esses eventos.


No entanto, como dissemos, é impossível impedir manifestações da natureza, sejam elas de qual porte forem. Por isso, resta aos profissionais dessa área alinhar cadeia de suprimentos e meio ambiente no momento de definirem suas estratégias para reduzir os danos.


Apenas para ilustrar quanto as intempéries podem afetar o fluxo de trabalho, ainda que ocorridas em outras regiões, usaremos como exemplo a inundação do Rio Yangtzé, que liga Xangai a outras cidades do interior da China.


No verão de 2020, o nível desse rio subiu consideravelmente por conta das fortes chuvas da época, provocando sua inundação. Isso fez com que a navegação, principal modal utilizado na região, se tornasse impraticável. A consequência foi o atraso global do fornecimento de EPIs, equipamentos de proteção individual, em plena pandemia.


Dica de leitura: "Desafios de logística no Brasil e as tecnologias que estão disruptando esse mercado"


7 formas de mitigar os impactos ambientais na sua supply chain

O alinhamento correto entre cadeia de suprimentos e meio ambiente, certamente, é uma das melhores estratégias para mitigar os riscos que impactos ambientais podem causar no abastecimento de uma empresa.


Nesse cenário, algumas das boas práticas sugeridas são:

  • faça um mapeamento completo da sua cadeia de suprimentos;

  • identifique pontos de vulnerabilidade próximos e/ou diretos;

  • olhe além da sua empresa;

  • simule diferentes cenários de impacto climático;

  • atente-se a sinais precoces de mudanças climáticas;

  • insira planos de backup nos contratos firmados com fornecedores;

  • use boas ferramentas de detecção precoce de alterações de clima.


Faça um mapeamento completo da sua cadeia de suprimentos

A ideia aqui é identificar todos os pontos que, direta ou indiretamente, podem afetar a cadeia de suprimentos do negócio, tais como localização do fornecedor e meios de transporte utilizados para entrega de matéria-prima e bens.


Ao fazer esse mapeamento, consegue-se ter uma visão ampla de como e quanto a atuação dos terceiros afetariam o seu negócio caso sofressem impactos de mudanças climáticas.

Identifique pontos de vulnerabilidade próximos e/ou diretos

Nesta abordagem para alinhar cadeia de suprimentos e meio ambiente, o objetivo é encontrar pontos de vulnerabilidade que afetariam diretamente a empresa em caso de danos da natureza.


Localização, índices econômicos locais, questões geopolíticas, disponibilidade de recursos naturais são alguns dos critérios que devem ser considerados nessa análise. O objetivo é identificar esses pontos e criar planos de ações emergenciais caso eventos naturais, passíveis da região, realmente aconteçam.


Olhe além da sua empresa

O atraso na entrega de EPIs devido às fortes chuvas ocorridas em Xangai que citamos, é um ótimo exemplo da importância de olhar a cadeia de suprimentos em sua totalidade, e não apenas focar na parte diretamente relacionada ao negócio.


Quanto a isso, a proposta é estudar toda a rede de fornecedores do negócio, a fim de encontrar quais terceiros qualificados podem servir de substitutos, caso os principais sejam afetados pode algum tipo de dano natural.


Simule diferentes cenários de impacto climático

Já que não há como impedir que a natureza se manifeste, o que resta é se preparar para possíveis eventos. Essa é uma forma de reduzir, o máximo que for possível, impactos que podem ser sentidos.


Uma das formas de fazer isso é criando diversos cenários, dessa forma, é se torna mais fácil elaborar planos de ação considerando as mais diferentes situações.


Atente-se a sinais precoces de mudanças climáticas

No geral, mudanças climáticas não acontecem da noite para o dia. A tendência é a manifestação de pequenos sinais, os quais dão indício de um evento mais expressivo. Por exemplo, ter mais dias frios que o normal em determinado ano pode ser um indicativo de um inverno mais severo no próximo.


Se a cadeia de suprimentos de uma empresa pode ser afetada por um evento desse tipo, os gestores têm a chance de se prepararem para que o negócio não sofra impacto por essa manifestação da natureza no futuro.


Insira planos de backup nos contratos firmados com fornecedores

A supply chain de uma companhia também deve ser vista como um diferencial competitivo. Por conta disso, o relacionamento com os fornecedores precisa ser cercado de pontos de segurança para que o fluxo de trabalho do negócio não seja interrompido.


Relacionando isso a possíveis impactos causados por mudanças climáticas, é indicado que os contratos firmados tenham planos de backup. Consiste em, basicamente, ter cláusulas que indiquem quais ações esses terceiros adotarão para garantir o fornecimento caso eventos desse tipo aconteçam.


Use boas ferramentas de detecção precoce de alterações de clima

Dependendo do porte da empresa e do ramo de atuação, o uso de ferramentas para detecção precoce de ocorrências climáticas se torna essencial.


Softwares com Inteligência Artificial podem ajudar a realizar um monitoramento climático mais preciso, verificando não apenas situações que podem afetar diretamente a companhia, mas também seus fornecedores e parceiros de negócio.


Leia também: "Blockchain na logística: como a tecnologia está transformando essa área"


Achou este conteúdo interessante? Acredita que ele trouxe uma luz às ações e práticas que podem ser adotadas para melhorar a cadeia de suprimentos e a logística da sua companhia? Então assine agora mesmo a newsletter do Movile Orbit e receba outros artigos como este diretamente no seu e-mail e fique por dentro de tudo!


 

Redação | Movile Orbit