• Redação

Como a tecnologia está ajudando a comunidade LGBTQIA+? Conheça apps e soluções voltadas à comunidade


app para LGBT



Entregar soluções desenvolvidas especialmente para solucionar as dores e as necessidades das pessoas que se identificam como LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, transgênero, queer, intersexo, assexuais e mais ), vai muito além de apenas facilitar o acesso à tecnologia para esse público. Na verdade, isso pode ser considerado como mais uma grande vitória para essa comunidade.


Considere que em 28 de junho de 1969, pessoas pertencentes a esse grupo foram violentamente agredidas e presas por policiais no bar Stonewall Inn, em Greenwich Village, na cidade de Manhattan, apenas por usarem roupas consideradas incompatíveis com seus gêneros. Dado o histórico de marginalização e violência que essa comunidade enfrentou e continua enfrentando, hoje, ter empresas que pensam especificamente nelas, é uma conquista imensa.


Sobre esse evento em questão, no ano seguinte a comunidade se juntou para relembrar o ocorrido e dar voz à sua luta contra ataques desse tipo. Desde então, por todo o mundo, diversos encontros são realizados, tornando o dia 28 de junho o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+.


É certo que o cenário para a comunidade LGBTQIA+ ainda está longe de ser o ideal e o justo, a exemplo das altas taxas de mortalidade que essas pessoas ainda precisam enfrentar, simplesmente por serem quem são.


Para se ter uma ideia, uma reportagem do site CNN Brasil trouxe dados do "Observatório de Mortes e Violências contra LGBTI+", o qual revelou que ao menos 316 membros (as) desse grupo foram mortos(as) de forma violenta no Brasil em 2021. O país também lidera o ranking de países que mais matam pessoas transgênero no mundo.


Situações como essa fomentam ações que visem o combate à LGBTfobia, assim como chama a atenção para o quanto de assistência, suporte e acesso a direitos básicos essa comunidade ainda necessita para ser tratada com total respeito e verdadeira igualdade.


A criação de soluções e aplicativos específicos para a comunidade LGBTQIA+ segue esse princípio e ajuda em questões como segurança, acesso bancário, orientação jurídica, entre outros pontos, sendo mais uma prova do potencial da tecnologia de melhorar vidas.


7 exemplos de apps para a comunidade LGBTQIA+

Vários tipos de apps e outras tecnologias direcionados para a comunidade LGBTQIA+ já foram criados e estão disponíveis para ajudar essas pessoas em diferentes frentes.


Alguns bons exemplos de softwares, ferramentas para inclusão e apps para o público LGBT+ são:

  • Dandarah;

  • Pride Bank;

  • Portal Lacrei;

  • Bicha da Justiça;

  • Blend Edu;

  • Nhaí;

  • Homo Driver.


Dandarah

Dandarah é um aplicativo disponível para Android e iOS que mapeia zonas consideradas de risco para essa comunidade.


A solução foi idealizada pela pesquisadora Mônica Malta (projeto Resistência Arco-Íris), e teve suporte financeiro vindo da emenda parlamentar do ex-deputado federal Jean Wyllys.


O aplicativo também é uma ferramenta de comunicação sobre serviços de apoio, locais seguros e delegacias próximas de onde a pessoa está. Somado a isso, a solução conta com um botão de pânico que, quando acionado, envia automaticamente uma mensagem para cinco pessoas previamente cadastradas informando a situação de risco.


Vale ainda destacar que o nome do aplicativo é uma homenagem a Dandara Ketlyn, travesti assassinada no Ceará em 2017.


Pride Bank

O Pride Bank é o primeiro banco digital do mundo voltado para o público LGBTI+, e é uma solução brasileira.


Com todos os produtos bancários encontrados em outros bancos, a exemplo de conta digital e cartão pré-pago, o grande diferencial o Pride Bank é que parte da receita é destinada para o Instituto Pride, que oferece suporte à saúde das pessoas que fazem parte dessa comunidade, incluindo:

  • psicoterapia;

  • psiquiatria;

  • psicologia organizacional;

  • ginecologia.


Portal Lacrei

O Portal Lacrei é o primeiro que faz a conexão dos membros dessa comunidade a advogados, profissionais de saúde e empresas que oferecem oportunidades de desenvolvimento pessoal e de trabalho para essas pessoas.


Criado pelo advogado Daniel Dutra, o portal tem o objetivo de funcionar como uma ponte digital de fácil acesso e uso, a fim de contribuir para resolver as dores de acesso desse público.


Bicha da Justiça

O Bicha de Justiça é a primeira startup brasileira criada para prestar assessoria jurídica a essa comunidade.


Com profissionais em todo o país, o portal disponibiliza advogados(as) realmente aptos e especializados no atendimento jurídico a causas pertinentes ao público LGBTI+. Além disso, também oferece cursos de diversidade para pessoas físicas e jurídicas, incluindo empresas, governo, profissionais liberais, entre outros.


Blend Edu

A Blend Edu é uma startup especialista em inovação para a diversidade. Prestando suporte para quase 60 grandes companhias, tais como Globo, Roche e 3M, eles criam projetos, soluções e treinamentos para impulsionar a transformação cultural nos negócios — inclusive, a Movile e a Zoop já cocriaram soluções com esse foco com a Blend Edu.


Para chegar a esse objetivo, a startup utiliza soluções como diagnóstico e consultoria estratégica, experiências sensoriais e imersivas, entre outras ferramentas relacionadas.


Nhaí

A Nhaí é fundada pela cantora da banda As Baías, compositora e mulher trans Raquel Virgínia. A startup também trabalha em prol de acelerar a inovação por meio da diversidade.


Para isso, eles oferecem para as empresas interessadas serviço de consultoria e curadoria, além de criarem projetos autorais voltados especialmente para essa comunidade.


O objetivo de Raquel ao criar a Nhaí é ajudar as marcas a promoverem uma comunicação realmente eficaz sobre diversidade, resultando na formação de equipes diversas, dando a oportunidade para tantas pessoas talentosas dessa comunidade que são colocadas à margem do mercado de trabalho.


Dica extra! Aproveite e leia também este artigo: "Lideranças LGBTQIA+ nas empresas: desafios e propostas de inclusão para aumentar a diversidade"


Homo Driver

O Homo Driver é o primeiro aplicativo de transporte voltado para a comunidade LGBT+. Uma das principais propostas com essa solução é garantir aos usuários pertencentes a esse grupo mais segurança durante as suas viagens.


A solução envolve motoristas devidamente treinados, tarifas competitivas, e também visa fortalecer a inclusão da diversidade de gênero dentro da própria empresa.


Até o momento, o Homo Driver está disponível apenas para a grande Belo Horizonte, mas a companhia conta com oferta de franquias, o que pode impulsionar seu ingresso em outros lugares do Brasil.


Esses foram apenas alguns exemplos do uso da tecnologia a favor do LGBTQIA+. Com o avanço tecnológico e aumento da consciência de causa, a tendência é que mais soluções para esse público sejam criadas.


Conhece mais alguma solução? Deixe nos comentários!


Para não perder nenhuma novidade como essa, assine agora mesmo a newsletter do Movile Orbit.


 

Redação | Movile Orbit